The Legend of Zelda: Ocarina of Time teve código-fonte recriado do zero

The Legend of Zelda: Ocarina of Time teve código-fonte recriado do zero

O querido e amado The Legend of Zelda: Ocarina of Time foi descompilado por uma equipe de fãs, o que permite a criação de diversos modificadores e até portas para sistemas diferentes, como ocorreu com o Super Mario 64 em 2019, quando foi trazido para o Dreamcast e o PlayStation 2, por exemplo.

A equipe Zelda 64 Reverse Enginnering (ZRET) esteve envolvida no projeto por 2 anos trabalhando na recriação do jogo. “Na noite passada, Fig, sendo um membro notável da comunidade e também líder do projeto, correspondeu à última função remanescente no projeto. Isso significa que todo o código compilado no jogo foi transformado em código C legível. Por um tempo, pensamos que talvez nunca conseguiríamos corresponder a todas as funções completamente, então esta é uma conquista incrivelmente empolgante.”, disse o time em conversa com o portal VGC.

Agora com o código analisável por computadores modernos, várias possibilidades se abrem para o game. Porém, a notícia é ótima não só por conta do que pode ser feito a partir disso, mas também em favor da preservação do jogo de Nintendo 64.

Aliás, é impressionante ressaltar que a equipe não utilizou nenhum vazamento, roubou algum conteúdo ou pirateou. O código todo do jogo foi recriado do zero utilizando linguagens modernas, o que, tecnicamente significa não haver nada diretamente ilegal.

Apesar do terreno seguro, é válido lembrar dos riscos sobre a utilização deste código em relação ao próprio ativo ou aos seus personagens, protegidos como propriedade intelectual da Nintendo.

Apesar da boa notícia, o trabalho não para por aí: a equipe ainda tem alguns detalhes para cobrir e um caminho a percorrer revisando, documentando, renomeando e reorganizando o código para facilitar a visualização e manutenção do projeto.

Outra ação nos planos da ZRET é descompilar outras versões de Ocarina of Time para apoiar o projeto. O trabalho principal até agora foi todo desenvolvido em cima da versão Master Quest do game para GameCube, que possui comandos de depuração que facilitam o processo.

Tudo o que foi desenvolvido pela equipe é um grande passo, certamente para diversas novidades. Porém, a equipe não está focada em nenhum port, mod ou melhoria gráfica do jogo.

O que pode acontecer, a exemplo do Super Mario 64, é que outra equipe use o avanço para produzir uma alteração visível, como 4K e reshade, por exemplo.

Share and Enjoy !

Shares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Shares
%d blogueiros gostam disto: